Follow by Email

Total de visualizações de página

sexta-feira, 8 de maio de 2009

Deu a loca na góndola

Recente anuncio num jornal local de uma rede de supermercados de Porto Alegre, oferecia o vinho argentino Santa Ana, supostamente de uvas viníferas, a R$ 6,48 e o vinho brasileiro JP feito com uvas comuns, a R$ 5,94. Como é possível que um vinho, feito COM UVA, percorra mais de dois mil quilómetros, pague impostos, frete e rentabilize o revendedor, possa ser vendido a tão baixo preço? O será que o preço do vinho comum nacional é muito alto?
Até pouco tempo atrás os vinhos importados de nossos vizinhos Chile e Uruguai, chegavam a preços situados entre R$ 15,00 e R$ 20,00, depois entre R$ 10,00 e R$ 15,00 e agora a quase R$ 5,00. Como vai terminar esta concorrência predatória?
Com certeza mal. Quanto mais baratos e ruins, mais dores de cabeça e desconforto proporcionarão aos que os consumam, que deixarão de consumir, que aumentará a oferta, que baixarão os preços... e a qualidade também. Um círculo vicioso.
Por tudo isto estou convencido que a única ferramenta para este mal é a formação do consumidor. Através dela este saberá diferenciar gato de lebre. Saberá tanto que descobrirá que o gato é gato antes de ele diga miau!

Nenhum comentário: