Follow by Email

Total de visualizações de página

segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Uma pequena notável



A Vallontano é uma pequena vinícola familiar situada no Vale dos Vinhedos dirigida pelo enólogo Luis Henrique Zanini, que tive o prazer de conhecer melhor neste ano que está indo, por que estivemos envolvidos, junto com Eduardo Anghebem, outro guerreiro, nas discussões do estúpido selo fiscal e a fracassada tentativa de colocar em prática “salvaguardas” ao setor da uva e do vinho brasileiro.

Zanini é daquelas pessoas que não tem receio em expor suas ideias e defende-las com argumentos, firmemente. Este tipo de atitude corajosa gera reações daqueles que sem argumentação, apelam para o ataque pessoal, a ofensa, etc. Infelizmente o setor abriga alguns destes personagens. Por esta coragem é que admiro a postura de Zanini, a apoio e acompanho.

Fazendo a seleção de vinhos que comporão a Carta de Vinhos do Sushi by Cleber degustei o Merlot Vallontano 2007 e fiquei agradavelmente surpreso pelo equilíbrio, harmonia e amabilidade. Sem dúvida é um vinho “bem tratado” desde a origem, com justa participação de seus componentes, sem a madeira fácil, enjoativa, é o verdadeiro vinho com gosto de vinho.

Tem uma cor intensa que permite esconder sua evolução (ao final é 2007!!) com tímidos tons laranjas, aromas intensos que vão se apresentando com o tempo e demonstrando a demorada maturação e o posterior envelhecimento que outorga as notas de frutas secas, compotas, especiarias.

Os aromas deste vinho me transportaram rapidamente aos anos oitenta quando ainda a concorrência não era predatória ao ponto de obrigar alguns expertos a encurtar caminhos. O vinho se faz com a cumplicidade do tempo, sem ele não há qualidade superior.

Na boca o sabor é envolvente, intenso e principalmente longo e persistente. Se comprova o que os aromas antecipam. É um vinho excelente, marcante, limpo, honesto, convidativo.

Fiquei feliz ao comprovar que a sabedoria “dos velhos” que Zanini mostra em suas palavras e atitudes, a aplica no dia a dia da cantina.

Este Merlot é uma prova indiscutível que na Serra, apesar das dificuldades, é possível fazer vinhos tintos de verdade, sem mascaras, sem maquiagens.

Já está na Carta do Sushi. Vai enobrecê-la.


sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Umas e outras sobre espumantes



Tem de ser agradável

Quando idealizo um espumante sempre penso na reação do consumidor de modo geral sem ficar preocupado em agradar os “entendidos” ou os novatos.

Penso que toda pessoa que toma a decisão de abrir uma garrafa de espumante o faz num estado de espírito diferente, na expectativa de passar um momento especial, alegre, festivo, descontraído. Isto não combina com acidez excessiva, adstringência, agressividade. Por isso o mais importante é oferecer a esse consumidor produtos amáveis, fáceis de beber, agradáveis independentemente se o método de elaboração for charmat ou tradicional.

O componente que determina essa característica do espumante é o vinho base com o qual é elaborado entendendo que de modo geral a pressa é inimiga da maciez. Os vinhos muito jovens tem tendência a serem mais agressivos desde o ponto de vista ácido (acidez marcante é um fator de qualidade nos espumantes) por isso que a maturação de pelo menos um ano os torna mais macios e harmônicos. Os mais apressurados se aproveitam da tolerância excessiva da legislação que permite uma larga faixa de 6 a 15 gramas de açúcares por litro para o tipo brut, para amenizar a agressividade dos vinhos novos com boas quantidades desta. Estes espumantes acabam sendo “brut, ma non troppo”.


Não sempre é açúcar

As participações em férias e encontros de vinhos servem para conhecer mais e melhor o consumidor. Numa delas nós éramos os únicos a oferecer espumantes e por isso uma longa fila se formava quando abríamos a degustação. A maioria dos interessados eram mulheres, o que não surpreende. São elas as que impulsionam a aumento de consumo ano a ano (benditas sejais!!!). Algumas delas nos abordavam solicitando “um espumante dozinho”. Ao provar nosso brut rosé, que era servido sem saberem que era brut com somente 8 gramas de açúcares a reação era , invariavelmente positiva, de agrado. Ao serem informadas da diferença ficavam agradavelmente surpresas e agradecidas pela experiência.

As pessoas, homens e mulheres, não gostam de “dozinho”, gostam de produtos amáveis, agradáveis, convidativos. Insistir na tese de que o brasileiro gosta de vinhos e espumantes adocicados é um equívoco.


Verdadeiramente ruins

Sempre afirmei que tanino e gás carbônico não formam um bom casamento. Ontem tive mais uma prova. Me ofereceram para degustar um espumante tinto que não informarei a marca porque não é o caso, e comprovei que o resultado final não é agradável.

Para esconder a tanicidade potencializada pelo gás é colocado açúcar em altas quantidades, acima de 15 gramas. O resultado: uma meleca horrorosa.

Não é o caso somente do tinto. Alguns rosé de tons subidos também são pesados, adocicados, indigestos.

sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

Obrigado

Aproveitando a proximidade da noite de Natal e o fim de 2012 quero transmitir a todos meus seguidores, que somam 170 pessoas, FELIZES FESTAS E UM ANO 2013 PLENO DE PAZ, SAÚDE E REALIZAÇÕES PESSOAIS.

Esperemos que em 2013:

- Nossos representantes no Poder Legislativo sejam mais atuantes, transparentes, honestos e lembrem sempre que estão ai, com gordos salários e todas as mordomias, PORQUE NÓS OS COLOCAMOS LÁ.... E PODEMOS TIRA-LOS.

- Que nossos representantes no Poder Executivo sejam mais focados nos assuntos que farão do Brasil uma nação justa e digna: educação, saúde, segurança, desenvolvimento econômico com respeito às pessoas e à natureza.

- Que nossos representantes no Poder Judiciário mantenham o papel de guardiães da justiça aplicada a todos por igual.

A TODOS MEU ABRAÇO E OBRIGADO PELO INTERESSE EM SEGUIR MEU BLOG.

1 123hiensindwir
2 4qgxz
3 4qgxzBYveo_XrP8FHpDDgE
4 Adriana Marques
5 agendadevinhos
6 aingles
7 Alex Teixeira
8 Alexandre Bezerra
9 Alexandre Frio
10 Alexandre Girardi
11 Alexandre Godoy
12 Alf
13 Amor divinho
14 Andrea Goreth
15 Andrea Santos
16 andy
17 Antonio Carlos XYZ
18 Antonio Matoso Filho
19 Arley Jose Vilarino de Souza
20 Augustorc
21 Babbo
22 Bianca
23 Bio Vinho
24 Bob
25 Brendo
26 Cacá
27 Caldas
28 Cantina de Porão
29 Caren Muraro
30 Carlos Barroso
31 Carlos Eduardo
32 Carlos Figueiredo
33 Carlos Moraes
34 Carlos Mores
35 Cavaneri de Passárgada
36 Claudia Holanda
37 Colorada
38 concastilho
39 Confraria vale dos sinos
40 Daiene Cheers!
41 Daniel Arraspide
42 Daniel Haas Zanotto
43 Daniel Perches
44 Darci Dani
45 Dineia
46 Economia Dom Ana Paula
47 Ed Barros
48 Edgard Piccino
49 Emerson
50 Emerson Zaro
51 Enobaires
52 Enofilo
53 Enogastrónomo
54 Enoleigos
55 Enoleigos BLOG
56 enopobres
57 Epifánio Augusto Galan
58 Fabduda
59 Fabiola Costa
60 Farandon
61 Felipe Stanque
62 Felipe Weber Pozzan
63 Fernanda Vianna
64 Fernanda.
65 Flávia Campos
66 Flávio Vinicius
67 Gabriel Vieira Vilhalva
68 Gaby
69 Galpão
70 Geovanini Neves
71 Geraldo Prates
72 Gilmar
73 Gilson Miranda
74 Giniacabral
75 Gisele Veiga Ravazzi
76 Guto
77 Henrique Peters Rech
78 Igor Guedes Prod. Fotográficas
79 Jane
80 Janilson da Costa Barbosa
81 Jaqueline
82 Jessica Cruz
83 Jessica Marinzeck
84 joaoveloso1935
85 José Carlos Rosado Figueiró
86 José Torres
87 José Wilson de Santana
88 jotta e rosley
89 Joyce Oliveira
90 Juliana Andressa
91 Juliana Antoniolli
92 Karen
93 Karina Licks
94 Katia Oliveira
95 La Cave Jado
96 Leandro Ebert
97 Leonardo de Araujo
98 leontjr
99 lia.berg
100 Lu Brito
101 Luiz Cola
102 Luiza Horn Iotti
103 Luziza1
104 Marcela Duarte
105 Marcelina
106 Marcelo
107 Marcelo Scavone
108 Marcelo26
109 Marcia Amaral
110 Marcus Duarte
111 Maria Ripardo
112 Mario Leonardi72
113 Mauro Cesar Noskowski
114 Mercelino Souza
115 mhcorreapires
116 Mô Amorin
117 Mondovinho
118 Nani
119 Natercia Ziero
120 nay_andrade
121 NELVINHOS
122 nubio ribeiro
123 Nuno Ciríaco
124 Orestes de Andrade junior
125 pacificimportados
126 Paulinho Gomes
127 Paulo Campos
128 Paulo Mazzeron
129 Paulo Nogueira
130 Pereira
131 pimota carlos alberto
132 pizza bar
133 Potijr
134 Priscilla Breda Panizzon
135 Quem será o curioso
136 R. Prado
137 Rato
138 Re Gonçalves
139 Ricardo Saad
140 Rodrigo Haas Zanotto
141 Romaine Carelli
142 Rosa Design
143 Rosa Maria Fuentes Fernandez
144 Rose Bagattini
145 Sabrina Maciel
146 Saulo Leite
147 Sergio
148 silvestretg
149 Sonia Denicol
150 tania Pimenta
151 Thiago Torres
152 Vanessa de Oliveira
153 Vera Peres
154 Victor Beltrami
155 Vincenzo
156 Vincenzo
157 Vinho e Mesa
158 Vinho para todos
159 vinhoechampagne
160 Vinhofortaleza
161 vinhoparatodos
162 Vinhos brazucas
163 vinhosdeprovence
164 vinhoverdeamarelo
165 Walter Schumacher
166 walter.sushidantas
167 we4r
168 Wilka Sena do Amaral
169 www.nadiajung
170 Zeca Emida

Continua


quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Prudência


Meu amigo Werner Schumacher anunciou no face que nos Estados Unidos a cada ano pelo menos 3 pessoas perdem um olho por falta de cuidados ao abrir garrafas de espumantes. Parece que o principal local e ocasião é durante os casamentos.

O que as pessoas não sabem é que uma garrafa de espumante é um vaso sob pressão e que a rolha, ao sair, é empurrada por pelo menos 60 libras.

Quanto é isso?
O dobro da pressão de um pneu, ou seja, uma rolha ao sair é um projetil que viaja na direção de algum alvo (que não deve ser o olho seu nem de ninguém!).

“Meu Deus, vou comprar capacete, luvas é um avental de aço para usar cada vez que tiver de abrir uma garrafa dessa bomba que é uma garrafa de espumante!!! “

CALMA, NÃO É ISSO!

Conhecer esta realidade nos alerta para respeitar a garrafa de espumante, não brincar com ela, não ficar fazendo gracinhas durante a retirada da rolha.

Algumas recomendações para evitar acidentes e momentos desagradáveis:
1. Se a garrafa, por alguma razão caiu no chão e não quebrou, tome cuidado ao manuseá-la. Envolva toda ela num pano deixando livre somente a boca para retirar com cuidado a rolha e gaiola. A garrafa é feita especialmente para suportar altas pressões mas um golpe forte pode afetar o vidro. Desconfie.
2. Não agite a garrafa antes de abri-la. Ela fica nervosa com o movimento e a pressão aumenta, o espumante também ficará nervoso e perderá gás rapidamente ao ser servido.
3. Não confie na rolha, não facilite, desconfie sempre.
4. Não retire a gaiola e depois a rolha. Esta pode sair intempestivamente e ir em direção errada, sem controle.
5. Segure firmemente a parte superior da gaiola, afrouxe esta e depois retire gaiola e rolha juntos.

Seja prudente e consciente da situação. Não deixe que nada estrague a festa. É absurdo imaginar que um momento, seja ele qual for, que mereceu ser brindado com uma borbulhante taça de espumante, acabe com alguém acidentado.

Todos nós produtores desta maravilhosa bebida que brinda à vida queremos oferecer momentos prazerosos, alegres, festivos, inesquecíveis.

sábado, 8 de dezembro de 2012

Pronto...falei


Não sei por que há um policiamento forte para cima de nós enólogos em relação ao que bebemos.

Certa vez no bar do aeroporto de Congonhas num fim de tarde quente e abafado, após longas horas de reuniões inúteis na Bacardi, decidi beber um chope bem gelado, daqueles que em determinados momentos dá água na boca.

Estava me deliciando quando vejo meu saudoso e querido amigo Bira Valdez, jornalista e radialista excepcional, diretor da Band em Porto Alegre que me cumprimenta de longe, sorrindo. Como é natural peguei meu chope e fui sentar-me a mesa do Bira para conversar enquanto aguardávamos a partido de nosso voo.

No dia seguinte, meu amigo Bira em seu programa matinal da rádio, tirou um sarro de mim com seu companheiro e amigo Affonso Ritter: “Como é possível ver um enólogo que sempre defende a causa do vinho, bebendo cerveja”.

Lógico que foi uma grande brincadeira mas esta situação foi um exemplo de como alguns enófilos não entendem que os enólogos possam apreciar outra bebida fora das derivadas da uva.

Não sou um bebedor de cerveja mas confesso sem o menor pudor, que em determinadas ocasiões o corpo pede cerveja. Um chope então, com moderada quantidade de gás e bem fresco, é delicioso.

Bebo com muita frequência, porque gosto e porque faz parte da minha atividade, espumantes em especial secos ou nature. O rosé é meu preferido pela sua versatilidade.

Bebo com menos frequência vinhos tintos e brancos quase na mesma proporção e bebo, esporadicamente um chope ou cerveja.

Destilados, quase nunca, salvo uma caipirinha na época de praia que ninguém é de ferro.

Se alguma vez você for testemunha do momento que um inocente enólogo estiver bebendo um chope ou uma cerveja, seja compreensível, não condene, pense que ele também é um ser humano, um filho de Deus, não é uma ovelha descarrilhada, é uma ovelha com sede.

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Salve-se quem puder

Sabe quando a impotência deixa você arrasado, raivoso, em fim, emputecido?

Pois é, esse foi o sentimento que tive hoje quando analisei (poucas vezes o faço) uma nota fiscal emitida para um cliente nosso de Belo Horizonte.

Sobre um total de R$ 17.600,00 dentro dos quais está embutido o ICM local, IPI, PIS, Finsocial, IR e algumas coisinhas mais, meu cliente teve de pagar R$ 6.000,00 (!!!!!) de Substituição Tributária de forma antecipada, antes de embarcar. Ou seja, desembolsou 30% a mais do custo dos espumantes que fatalmente será repassados ao mercado.

É possível isto?

É possível ser competitivo?

É possível viver em paz, pensar no futuro, fazer projeções, planos de ampliação, ações no mercado?

É possível que toda a cadeia produtiva retire de seu capital de giro volumes tão astronômicos de dinheiro, de forma antecipada, bem antes de receber o resultado da venda?

É possível imaginar que isto será pior com o passar dos anos?

É possível não ficar indignado quando vemos toda a montanha de dinheiro público (NOSSO!!!) sendo roubado, desviado, utilizado para gastos inúteis como os cartões corporativos do alto escalão, as viagens a passeio de ministros e assessores, as despesas sem justificativa que ministros, deputados e senadores fazem com a maior cara de pau?

É possível aguentar comentários de alguns desavisados que criticam os altos preços dos vinhos e espumantes nacionais sem considerar que nosso maior e indesejado sócio, a cada dia tem mais fome?

Líderes do setor (Sindicatos da uva e do vinho, Uvibra, Ibravin, Agavi, Fecovinho, Aprovale, Apromontes e muitas outras mais) ACORDEM!!!

A REDUÇÃO DA CARGA TRIBUTÁRIA É PRIORIDADE MÁXIMA!!!!

UTILIZEM SUA FORÇA POLÍTICA PARA TIRAR DE NOSSAS COSTAS (E DAS COSTAS DOS CONSUMIDORES) ESTE PESO MORTO QUE NADA DEVOLVE, QUE NADA FAZ, QUE PARA NADA SERVE!!!

PAREM DE FICAR PREOCUPADOS SOMENTE EM GANHAR MEDALHAS E PARTICIPAR DE FEIRAS!!!
JUSTIFIQUEM SUA EXISTENCIA!!!