Follow by Email

Total de visualizações de página

quarta-feira, 6 de maio de 2009

A Carta de Vinhos


A carta de vinhos é um dos principais instrumentos para aumentar o consumo de vinhos e espumantes em bares e restaurantes. Assim como os copos de bom tamanho e formato adequado “pedem vinho”, a carta de vinhos quando bem diagramada e ilustrada, estimula o cliente a escolher um espumante seco ou um vinho para harmonizar perfeitamente com os pratos da casa.
Para cumprir esta função, a Carta de Vinhos deve ser bem feita, simples, adequada à culinária e clientela da casa, e estar sempre atualizada e em perfeito estado de conservação. E o que é muito importante, ser entregue de imediato ao cliente e não aguardar que a solicite.
A Carta que apresenta erros de grafia nas marcas, nomes das uvas, vinhos ou regiões, é diagramada de tal forma que precisa de um manual de instruções para achar os vinhos e está pessimamente conservada, impressiona mal. Codorniu não é Cordoniu, Cabernet não é Caberne, Gewürztraminer não é japonês.
A facilidade que a informática oferece possibilita imprimir as folhas da Carta de Vinhos quando há mudança de preços, falta de produto ou entrada de novos. Por esta razão é importante, ao confeccionar a Carta, fazer-la de modo a que possa ser atualizada com facilidade.
A Carta de Vinhos não pode ter preços rabiscados grosseiramente, vinhos sem estoque, novos vinhos escritos com caneta ao pé das folhas.
Cartas nestas condições deixam de ser cartão de visita do estabelecimento e passam a ser amostra grátis do que virá depois.
A Associação Mundial de Sommeliers faz as seguintes recomendações para fazer uma Carta de Vinhos corretamente:
Ordem por tipo: Os diferentes produtos devem ser dispostos em ordem de consumo, Espumantes, Vinhos brancos, Vinhos tintos e Vinhos fortificados como Porto, Jerez, etc.
Ordem por origem: Vinhos do país onde se opera (Brasil) - Vinhos do continente onde se opera (Chile, Uruguai, Argentina, USA) - Vinhos correspondentes a especialidade gastronômica da casa e posteriormente outras origens.
Descrição do produto: Deve ser a mais completa possível com pelo menos as seguintes informações: Marca - Variedade da uva (quando o vinho é varietal) – Safra - Vinícola produtora - Região de origem – Conteúdo - Preço
Textos breves sobre as uvas, os vinhos ou as regiões dos produtos oferecidos, e detalhes como pequenas bandeiras identificando cada país e ilustrações, embelezam e dão categoria às Cartas.
Cartas exclusivas com produtos de uma única vinícola são péssimas e uma ofensa ao cliente já que impossibilitam a maior virtude delas: a livre escolha. Estes estabelecimentos, provavelmente, em troca de melhores condições comerciais também dão exclusividade ao açougue, a padaria, a peixaria, em detrimento da exigência sobre a qualidade dos produtos oferecidos a sua clientela.

Nenhum comentário: