Follow by Email

Total de visualizações de página

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

O refresco


Contrariamente ao que defendo para os espumantes que é jamais colocar gelo devido ao dano irreparável ocasionado ao gás dissolvido, essência do produto, nos vinhos em determinadas situações, não tem coisa melhor.
Explico.
Que beber enquanto, na frente da churrasqueira com calor de 70º no peito, aguardamos pacientemente por mais de uma hora que a carne fique no ponto?
O vinho reservado para a ocasião, um vinho branco ou um espumante?
Todas estas escolhas poderão nos levar a ingerir excessiva quantidade de álcool. O melhor será uma bebida com menor graduação.
Cerveja? Não combina com vinho.
Que fazer então?.
Aí vai minha dica que pratico sempre. Prepare um refresco de vinho com menos graduação alcoólica do vinho original.

Preparo do refresco de vinho:
Num copo de long-drink coloque duas ou três pedras de gelo e sobre elas, até a metade (ou a gosto, essa é minha dose), vinho tinto confiável e honesto.
Deixe o reservado de melhor qualidade para o almoço ou jantar.
Complete o copo com água mineral com gás. Pronto, um refresco maravilhoso que não estraga o vinho nem a água, simplesmente o dilui.
O objetivo desta bebida é ingerir pouco álcool mantendo o gosto do vinho.
Heresia, barbárie?
Se você fizer isto com um vinho especial será, alem disso, uma grande bobagem. Se misturar com outras bebidas alcoólicas ou não, acaba com o vinho e com a outra bebida. Misturar com água é somente diluir todos os componentes sem alterar o gosto básico do vinho.
Escolha para este drinque o vinho de todos os dias, simples, agradável.
Branco ou tinto?
Minha preferência e com tinto meio a meio. Experimente e decida qual é seu tipo e proporção.
Estava esquecendo: este refresco é ótimo na beira da piscina num dia ensolarado.

Nenhum comentário: