Follow by Email

Total de visualizações de página

domingo, 20 de fevereiro de 2011

A guarda


Há tantos sommeliers formando-se no Brasil e no mundo que, como todo excesso, pode prejudicar a saúde...dos vinhos e espumantes.
Vejam abaixo as respostas de uma sommelier para um jornal paulista:

Vale a pena ter adega (a máquina) em casa?
Adegas costumam ser bem caras e, por isso, acabam sendo um investimento. Mas vale muito a pena para aqueles que apreciam vinhos, bebem com freqüência ou exigem um vinho bem armazenado e preservado.

As adegas climatizadas, bastante caras por sinal, são úteis para quem gosta de guardar vinhos para acompanhar a evolução, beber-los com maior maturação ou envelhecimento, porque oferecem condições boas de temperatura constante e baixa e luminosidade. São um gasto inútil (boas somente para mostrar-las) para quem bebe com frequência e vinhos que se encontram facilmente nos supermercados.
Alias, esta é a situação da grande maioria dos mortais.


Mesmo se a pessoa não vai guardar a garrafa por uns três anos?
Vale! A cada dia que passa, mais e mais vinhos são feitos para serem consumidos ainda jovens (então para que guardar-los?). Vinhos de guarda são extremamente caros, principalmente no Brasil. Por isso, é cada vez mais raro ver pessoas comprando em grandes quantidades. A adega ajuda na organização, poupa espaço na geladeira e mantém o vinho na temperatura ideal de consumo. Lembrando que o vinho é uma bebida "viva", em constante evolução. Uma temperatura muito baixa ou muito alta prejudica o seu desenvolvimento.

Quais garrafas e/ou tipos de vinho devo ter na minha adega?
Cada adega armazena um número de garrafas. Ultrapassar muito esse número e abarrotá-la não é muito legal, pois ela terá que trabalhar além da sua capacidade para manter a temperatura. Quanto ao tipo de vinho, vai do gosto de cada um. Recomendo manter na adega os vinhos especiais que requerem cuidado e aqueles que se pretende consumir nas próximas semanas, pois assim já estarão na temperatura ideal.

A pergunta era muito bem feita para responder: é obrigatório ter um mínimo de duas garrafas de espumante brut ou seco para recepcionar uma visita imprevista, vinhos brancos e tintos conforme o consumo, a época e os hábitos gastronômicos da família.

Se eu não vou tomar toda a garrafa, posso guardá-la por quanto tempo na geladeira?
Não por muito tempo, pois a grande maioria dos vinhos é extremamente sensível. Acredito que do almoço até o jantar ou do jantar até o próximo almoço ele pode aguentar. Recomendo as rolhas a vácuo, que ajudam a preservá-lo melhor e por um pouco mais de tempo.

O vinho não é manteiga. O vinho do dia a dia posso conservar-lo fechado com a própria rolha durante uma semana que é o tempo de consumo de uma pessoa sozinha. Deve ser guardado de pé (deitar-lo após aberto é inútil porque o ar já entrou) na parte interna baixa da porta da geladeira (lá, fazendo companhia a garrafa “litrão” de refri).
Se for um vinho especial, beba toda a garrafa ainda que tenha de convidar seu maior inimigo para isso. Com certeza ao final dela a amizade surgirá naturalmente.


Devo deixá-la deitada ou posso mantê-la de pé na porta da geladeira?
Vinhos devem ser sempre estocados na horizontal, seja na adega, na geladeira ou na despensa. O líquido deve sempre estar em contato com a rolha. Caso contrário, ela pode vir a ressecar e deixar que o ar entre, oxidando o vinho. Caso o vinho já esteja aberto e seja mantido por apenas algumas horas, não tem problema ele ficar de pé. A exceção são os vinhos com tampa de rosca.

A resposta está acima.

Como saber se o vinho estragou depois de aberto e mantido na geladeira?
Tente perceber se seus aromas e gosto mudaram. Caso estejam avinagrados ou próximos ao de um vinho do Porto, significa que ele estragou.

Repito: se uma garrafa de vinho semi-consumida (não quase vazia), é guardada na geladeira por até uma semana, NADA PODE ACONTECER COM O VINHO se é somente de uva e elaborado com os mínimos cuidados. Se estragar, grave a marca e nunca mais compre esse vinho. Se você esquecer um vinho aberto na geladeira por muito tempo, a probabilidade de transformar-se num vinho do Porto é próxima do zero. A de ser um vinagre é alta. Garanto: é salada ou pia.

10 comentários:

Anete disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anete disse...

Adorei seu blog, bem dinâmico, sem frescuras mesmo. Então lá vai minha dúvida: minha filha faz 15 anos em abril de 2012 e encontrei aqui no Rio por um preço excelente um Prosecco que gostamos. Gostaria de saber se há algum problema armazenar 40 garrafas até abril de 2012? Deixo na caixa? Em pé? Deitado? Num armário? Por favor me dê um dica.

Adolfo Lona disse...

Prezada Anete:
Até abril de 2012 é um prazo que eu não recomendaria para um Prosecco ainda quando muito bem conservado.
No inicio do ano sempre há ofertas especiais de espumantes que são sobras das vendas de fim de ano. Sugiro adquirir o espumante para os 15 anos da sua filha (que ocasião especial!)no inicio de 2012.
Abraço
Adolfo

marcelo disse...

Olá Adolfo,
Parabéns pelo seu blog. Não entendo muito de vinho, mas gosto muito de apreciá-los. Recentemente comprei vinho mais artesanal em garrafões, minha pergunta é: Como devo manter armazenado esses garrafões??? deitados também?? Faz diferença colocá-los numa altura elevada em relação ao solo (já que normalmente as pessoas armazenam na cozinha onde a temperatura na parte superior é maior que na inferior devido a processos de cozimentos, onde vapores se acumulam proximo ao teto) ou no solo????

Agradeço desde já.

marcelo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
marcelo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Maria do Socorro Campos Araujo disse...

Blog bom. Estou bebendo a ÚNICA garrafa de vinho que não terminei na vida. Tomei só uma taça, não tava bem e guardei na geladeira. Ocorre que isso foi há cerca de um mês. Tô tomando ela agora. O que me diz?

Cristiano Arndt disse...

Prezado Adolfo Lona. Boa noite. Não sou entendedor de vinhos, por isso o questionamento. Moro na cidade do Rio de janeiro, calor de mais de 40 graus no verão, e tenho alguns vinhos comprados em viagens ao Canadá, Napa Valley, Portugal,etc., cuja intenção é de guarda para abrir em ocasiões especiais. Venho pensando em adquirir uma adega climatizada mas até o momento não a comprei pois não sei se vale o investimento. No caso da temperatura daqui do Rio, seria realmente uma necessidade? E conservar na geladeira? Qual sua opinião a respeito?

Obrigado.

Daniele Martini disse...

Oi Adolfo, tudo bem?
Gostei do blog.
Tenho uma dúvida é acho que pode me ajudar: acabei de abrir um vinho do porto. onde é por quanto tempo é recomendado guardar?
Obrigada!

Sarah Hadassa disse...

Minha amiga me perguntou se pode consumir um vinho aberto q ficou uns meses fora da geladeira e o gosto esta bom.Faz mal tomar?