Follow by Email

Total de visualizações de página

quinta-feira, 30 de novembro de 2017

Vamos beber bem?




O momento é adequado porque estamos nos aproximando das Festas de Fim de Ano que trazem consigo o festejo, o encontro, a alegria...e a bebida.

Quando proponho “vamos beber bem”, não estou me referindo ao tipo ou qualidade das bebidas, ao final cada um tem seu conceito de qualidade. Me refiro ao modo de beber.

O vinho e os espumantes são bebidas com mediana graduação alcoólica e extraídos de uma fruta que aporta aromas e sabores diferenciados. A maturação e o envelhecimento somam características únicas que agradam, encantam, cativam. Esta mediana graduação alcoólica é fundamental porque permite ao apreciador, sentir facilmente essas diferenças. E esta é a grande diferença com outras bebidas mais agressivas devido ao álcool, como os destilados.

Beber com prazer, sem excessos, sem consequências desagradáveis no dia seguinte, sem mal-estares, é uma tarefa que exige alguns cuidados. Mas no período das festas, os encontros com familiares ou amigos, são propícios aos excessos.

Se você for o anfitrião a responsabilidade aumenta já que será quem “comanda o espetáculo”. Não queira mostrar sua adega toda numa única noite. Conduza o fluxo de alimentos e bebidas adequadamente protegendo seus convidados, procurando, com discrição transformar o encontro numa noite inesquecível.

Vamos às recomendações:

Beba com moderação: Este conceito é totalmente subjetivo, depende de cada pessoa. Se você quer aprender a beber, comece por se observar, ficar atento a seu limite. Tem pessoas que suportam mais, outras menos. Saiba o seu e respeite-lo.

Não misture: Destilados e fermentados não se dão bem, por isso os cuidados devem ser redobrados. Melhor não os misturar. Esqueça das “entradas longas” com vodca, caipirinha, whisky, vermute, rum, etc. São explosivas e induzem ao desastre.

Beba devagar: Os afobados são péssimos bebedores. Travam a língua com incrível rapidez. A bebida deve ser saboreada, apreciada, não engolida.

Beba água: A água ocupa espaço, hidrata e limpa o paladar. Beba em abundância ainda que isso o leve à toalete mais vezes que você gostaria. Prefira água sem gás e não muito gelada.

Acompanhe com alimentos: Isto é fundamental. Nada pior que bebida em estomago vazio. E não precisa complicar, uma torrada, um pão, um queijo, um prato simples tanto quanto um sofisticado, são excelentes companheiros. Beba devagar, comendo, coma devagar, bebendo.

Respeite a ordem: Os vinhos e espumantes, quanto mais maduros ou envelhecidos, mais intensos são de aromas e sabor. Por isso procure iniciar com os mais jovens e no caso dos espumantes, pelos elaborados pelo método charmat. São mais frescos e ligeiros. Depois dedique sua atenção aos mais maduros, produzidos pelo método tradicional.

Evite excesso de variáveis: Se você for o anfitrião, preste atenção neste item.

Alertamos para a sequencia que diferencia uma noite exitosa de uma noite de terror

- Servir somente espumantes – Fantástico, todos ficarão felizes e leves.

- Um espumante e um vinho, branco ou tinto – Perfeita combinação.

- Um espumante, um vinho branco e depois um tinto – Muito boa, com cuidados nas quantidades.

- Um espumante, um vinho branco, um tinto e licor ao final – Grandes chances de resultar em dores de cabeça e mal-estar no dia seguinte.

- Caipirinha de entrada, seguida de um espumante, um vinho branco, um vinho tinto e arrematando com licor – Infalível para recepcionar amigos indesejados, parentes chatos e inimigos. – Mantenha uma UTI móvel de prontidão.

Nenhum comentário: