Follow by Email

Total de visualizações de página

domingo, 30 de março de 2014

Espumante: só atributos


Cada dia me convenço mais que o futuro dos espumantes no Brasil é fantástico.

Participei recentemente de palestras, férias, eventos e jantares harmonizados em diferentes capitais do Brasil e comprovei mais uma vez, que as reações que o espumante provoca nas pessoas são todas positivas: prazer, descontração, alegria, sociabilidade.

Uma bebida com tantos atributos participará a cada dia mais da vida dos brasileiros. Até porque ela tem muito a ver com o “jeito de ser” do brasileiro, alegre, descontraído, leve.

Outros fatores importantes que contribuem para este êxito são a predisposição que o Rio Grande do Sul, devido ao clima e solos, possui para elaborar espumantes tanto leves como complexos, marcantes, com muita personalidade; o imenso litoral com clima e gastronomia que “pede” bebidas leves e refrescantes; o bom posicionamento de preços, variados, que atendem todos os níveis económicos; a enorme variedade de tipos, secos, suaves, doces, leves, complexos, brancos e rosados; a fantástica versatilidade para harmonizar diferentes pratos e o que a meu ver é o mais importante: o consumidor brasileiro confia na qualidade dos espumantes produzidos no Brasil.

Mas nada disto teria garantido o crescimento constante de consumo nos últimos anos se não fosse pelo papel preponderante da mulher brasileira.

Ela foi e é a impulsionadora do consumo, da desmistificação, da retirada do smoking.
Ela gosta de beber espumantes e pronto, sem frescuras, sem preconceitos, sem cerimonias. Ela não precisa de festa, ela é a festa e o espumante é o fiel companheiro dos bons momentos.

Graças a mulher muito marmanjo perdeu o medo, tirou da cabeça que espumante é uma bebida feminina, apropriada para aniversários, casamentos e comemorações e hoje bebe ao par dela.
É possível transformar qualquer momento em comemoração, basta querer e homem não precisa beber sempre vinho tinto robusto, encorpado, alcoólico.

Existe a ideia equivocada que mulher gosta de espumante “docinho” quando na realidade o gosto pelo mais suave ou mais seco é resultante do hábito.
Quem não está acostumado a consumir espumantes periodicamente prefere os mais suaves e assim ficará se não mudar seu hábito.

Já para as pessoas, homens e mulheres, que consomem mais frequentemente, porque gostam, porque apreciam, há um processo natural de educação do paladar e o resultado é gostar mais de espumantes secos onde o sabor fica mais nítido e marcante.
Por esta razão os tipos que mais crescem são o brut e o nature (zero de açúcares) que permitem, sem a máscara do açúcar, perceber de forma totalmente transparente os aromas e o sabor do espumante.

O gás carbônico, principal componente do espumante, proporciona o magnífico visual, sedutor, contagiante, conduz os aromas até a boca da taça tulipa em direção ao apreciador e graças a sua capacidade de acelerar a velocidade do álcool no fluxo sanguíneo proporciona de forma imediata uma sensação de leveza e alegria que nenhuma outra bebida consegue.

Não é por nada que o lendário sedutor Casanova afirmava que “Uma taça de champagne é uma magnífica ferramenta de sedução”.

Não é por nada que o pensador e escritor Oscar Wilde disse: “Somente as pessoas sem imaginação não conseguem encontrar um momento para beber uma taça de espumante”

Lembremos de manter uma garrafa de um bom espumante gaúcho na porta de geladeira.
Ela estará sempre ai, pronta para acompanhar uma visita inesperada, um fim de tarde, um café da manhã diferente, uma celebração ou....nada...somente ter o prazer de bebe-la.

2 comentários:

Paulo Augusto Sebin disse...

Realmente os espumantes são sensacionais. Os brasileiros têm costume de tomar essa bebida somente no final do ano, mas eu tomo até que com boa frequência. Parabéns pelo seu blog, sigo ele já faz algumas semanas.

Adolfo Lona disse...

Obrigado Paulo. O brasileiro está descobrindo quanto o espumante é generoso mas temos de vencer a cultura do "festejo" que nos inculcam desde pequenos. Chegaremos lá. Abraço